O Postalis está mobilizado para atender os optantes do PDI

Benefícios estão garantidos! Veja o que estamos fazendo e como você pode reduzir o tempo de espera.

A equipe do Postalis está mobilizada para agilizar o atendimento e a concessão de benefícios aos optantes pelo PDI dos Correios. A Central de Atendimento trabalha a todo vapor diante do aumento expressivo do número de agendamentos:

* 356 atendimentos em janeiro
* 694 em fevereiro
* 500 até o dia 9 de março, com previsão de 1.150 ainda neste mês
* 835 já agendados para abril

Como você pode agilizar seu atendimento?

Clique e assista  a LIVE  sobre as opções e requisitos para sua aposentadoria. No vídeo estão respondidas boa parte das dúvidas que os participantes têm sobre a concessão de benefícios.

Uma nova LIVE está marcada  para o dia 18 de março (quinta-feira), às 19 horas. Acesse o canal do Postalis no YouTube , se INSCREVA e participe trazendo suas dúvidas!

Com mais informações, você agiliza seu atendimento e também colabora para reduzir o tempo de espera dos demais participantes.

Estamos estudando a simplificação dos processos internos para análise dos benefícios e desenvolvendo outras melhorias tecnológicas, pois a nossa prioridade é continuar prestando serviços com qualidade a nossos participantes e assistidos.

Lembrando que, no plano BD, a data de início do benefício e do pagamento é um dia após a data do desligamento.
No plano Postalprev, a data início do benefício e do pagamento é a partir da data do requerimento do benefício que deve ocorrer após o desligamento.

Conheça abaixo algumas das medidas já tomadas pelo Instituto:

* Solicitações de aposentadoria do BPS que derem entrada até o dia 19 de março serão incluídas na folha de pagamento do mês, creditada no dia 31 de março (anteriormente, o prazo limite para solicitação era o dia 15).
* O recebimento e análise dos documentos está sendo feito em horário estendido e também durante os fins de semana, com as equipes internas trabalhando em regime de plantão;
* Corrigimos problemas do Postalis Online, gerados pelo grande número de acessos simultâneos;
* Sugerimos aos Correios o escalonamento das datas de desligamento, evitando a concentração em um único dia e a consequente geração de filas;
* Solicitamos aos Correios o envio diretamente ao Postalis do Termo de Rescisão digitalizado, facilitando a análise das concessões de benefícios.

Agradecemos a todos pela compreensão!

Esclarecimento sobre a fila na Central de Atendimento

O Postalis está tomando providências para otimizar os serviços da sua Central de Atendimento, com a reorganização interna das atividades e turnos de trabalho, visando reforçar as equipes de atendentes nos horários de maior demanda.

Nestes últimos dias, o tempo de espera na fila tem estado acima do normal. O motivo principal é alta procura por informações relativas ao PDI dos Correios. Só na primeira fase do Programa, foram mais de 4.400 desligamentos, que se somaram à demanda habitual por atendimentos e aproximadamente 1.400 participantes que irão se desligar dos Correios em abril.

Clique aqui e assista a LIVE sobre o PDI Correios 2020 / 2021.

Vale lembrar que os “agendamentos de atendimento para o PDI” estão abertos para o mês de abril. O cronograma dos agendamentos de março está sendo cumprido. Os benefícios incluídos até o dia 15 deste mês serão analisados, com pagamento previsto para a folha de março. Já os formalizados a partir do dia 16, serão analisados para a folha de abril.

O Postalis agradece pela compreensão e reitera o compromisso de centrar esforços, a fim de reduzir os transtornos deste momento atípico.

Recuperação de R$ 400 milhões em ativos do Postalis é tema de notícia no Valor

Diretor de Investimentos, Pedro Pedrosa, comenta as estratégias do Instituto para recuperar recursos dos planos

As estratégias e os resultados do esforço de recuperação de ativos de investimentos mal sucedidos, feitos em gestões passadas do Postalis, foram tema de reportagem publicada hoje, no jornal Valor Econômico. A notícia trata dos quase R$ 400 milhões já recuperados até agora e as perspectivas do Instituto para reincorporar mais recursos ao patrimônio dos planos de benefícios.

Em entrevista, o atual Diretor de Investimentos, Pedro Pedrosa, falou deste trabalho que demonstra a mudança em curso no Postalis, visando a sustentabilidade da entidade em benefício de seus participantes. “Vamos continuar com os trabalhos em parcerias com gestores, recuperadores e escritórios. E vamos intensificar a questão jurídica quando necessário”, afirmou ao jornal.

Assinantes do Valor podem ler a íntegra da notícia clicando aqui.

 

Postalis celebra resultados que fortaleceram o Instituto e seus planos em 2020

Além da rentabilidade dos planos BD e Postalprev, ações focaram a governança e a aproximação com os participantes e patrocinador

Em um ano difícil em todo o mundo, quando a pandemia trouxe obstáculos para a economia e para a sociedade, o Postalis manteve o foco na reconstrução do Instituto e obteve avanços importantes para seus planos de benefícios, para a governança do Instituto e para o relacionamento com seus participantes.

Rentabilidade

O PBD registrou rentabilidade de 12,51%, ficando acima da meta atuarial que era de 10,28%, contribuindo para que o déficit do plano não se agrave. No Postalprev, o retorno foi de 6,96% e, mesmo sem alcançar a meta de 10,49%, pode ser considerado um retorno positivo diante da queda do mercado financeiro em 2020.

Governança

Encerrado o período de intervenção, o Postalis voltou a contar com os Conselhos Deliberativo e Fiscal com representantes eleitos por seus participantes e pelos indicados pelo patrocinador, os Correios. Mesmo com o distanciamento, o processo eleitoral ocorreu normalmente, com segurança e sucesso. Também, a gestão executiva foi complementada com a contratação por processo seletivo do Diretor de Gestão Previdencial.

Trabalho remoto

Mesmo com o trabalho remoto, o Postalis manteve todos os seus compromissos em dia, o pagamento de benefícios e, inclusive, o atendimento aos participantes. 

Ética e compliance

Em todo o Instituto, a cultura de ética e responsabilidade tem sido disseminada por meio do Programa de Integridade. Pela primeira vez, foi realizada uma Semana de Ética e Compliance, com capacitações sobre o tema para todos os colaboradores que são agentes ativos na prevenção e identificação de atos que possam prejudicar o Postalis e seus integrantes.

 TAC e estratégia previdencial

No início de 2020, o Instituto assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a Previc, assumindo o compromisso de buscar uma solução para o déficit do Plano BD. Durante o ano, a área previdencial do Postalis discutiu as estratégias para equacionamento do déficit com os participantes e o patrocinador Correios.

Por sugestão das associações de participantes, foi criado um Grupo de Trabalho que viabilizou a discussão. Em reuniões frequentes, o grupo conheceu detalhes sobre a atual situação do Plano BD e apresentou sugestões para a estratégia previdencial em desenvolvimento.

Nova marca

Como símbolo desta nova etapa nos quase 40 anos de atuação do Postalis, foi lançada uma nova marca para o Instituto, mais moderna e identificada com a nova fase do Instituto, desenvolvida internamente sem custo algum para a Entidade.

Satisfação

Este conjunto de ações faz sentido quando se reflete em melhorias para quem faz parte do Postalis. Em 2020, o Instituto retornou ao noticiário especializado em previdência complementar, porém sempre em notícias com viés positivo. A pesquisa com participantes, aposentados e pensionistas apontou 95% de satisfação com o atendimento prestado pelo Instituto.

Em 2021, seguimos comprometidos com a reconstrução deste que é um dos maiores fundos de pensão do Brasil, buscando confiança e solidez agora e no futuro.

Aportes extraordinários no Postalprev dobram em 2020 e demonstram credibilidade

Número de participantes que efetuaram contribuições além das normais do plano é o maior dos últimos seis anos

O valor e o número de contribuições extraordinárias – adicionais às contribuições normais – feitas ao plano Postalprev, do Postalis, no ano de 2020 dobraram. Na comparação com o volume de recursos aportados em 2019, o crescimento foi de 109%. E considerando a quantidade de participantes que efetuaram estes depósitos, o número foi 103% maior do que no mesmo mês do ano anterior. É a maior quantidade registrada no Postalis desde 2014. Em valores nominais (não corrigidos pela inflação), o montante é o mais alto já registrado desde o lançamento do plano, em junho de 2005.

“É um sinal da credibilidade do Postalis junto aos participantes, que enxergam no seu plano de previdência uma boa oportunidade de obter rentabilidade e benefícios fiscais no Imposto de Renda”, avalia o diretor de Gestão Previdencial do Instituto, Carlos Alberto Zachert.

Todos os participantes do Postalprev têm direito a deduzir as contribuições feitas ao plano – normais e extraordinárias – na declaração completa do Imposto de Renda, no limite de até 12% de sua renda bruta. Isso faz com que o imposto a pagar seja menor, ou mesmo gere restituição.

Em dezembro, a procura pelos aportes extraordinários costuma ser maior, mas para garantir o benefício fiscal são considerados todos os aportes feitos durante o ano ao plano de previdência da modalidade de Contribuição Variável (CV), como o Postalprev, ou de Contribuição Definida (CD). Planos de Benefício Definido (BD) não possuem essa característica.

Associações de participantes e assistidos discutem propostas para o déficit do Plano BD

Cenários com redução de benefícios futuros foram simulados, para facilitar a decisão sobre a saída viável para o plano

Representantes dos participantes e assistidos da previdência do Postalis e gestores do Instituto concluíram ontem a primeira etapa das atividades do Grupo de Trabalho formado para discutir soluções viáveis para o déficit do Plano BD. A pedido das associações, o Instituto simulou diferentes hipóteses de redução dos benefícios a serem concedidos, como já adotado em outros fundos de pensão, analisando seus impactos nas reservas matemáticas do plano.

A ideia é oferecer, em um futuro próximo, condições tanto para a migração para um novo plano, da modalidade de Contribuição Definida (CD), quanto para a permanência no BD, assumindo o pagamento de novas contribuições extraordinárias e/ou reduzindo os benefícios futuros. Como prevê a legislação, o déficit precisa ser 50% pago pelo patrocinador (Correios) e 50% pelos participantes e assistidos. Essa condição será mantida mesmo se a alternativa escolhida pelos participantes for a renúncia de parte dos direitos da aposentadoria, pensão e pecúlio a serem concedidos.

O Postalis irá agora ajustar sua proposta inicial para inserir os apontamentos feitos pelos representantes das associações e pelo patrocinador, os Correios, em uma estratégia previdencial que atenda à legislação da previdência complementar e solucione o déficit acumulado do Plano BD.

No momento, a etapa é de debate sobre o modelo de estratégia previdencial a ser apresentado pelo Postalis ao órgão regulador, a Previc, cumprindo o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre as partes há quase um ano. Somente após a aprovação da estratégia, será aberto um período de opção para que participantes e assistidos decidam se migram para o plano CD ou ficam no PBD, considerando as vantagens e riscos de cada modalidade.

“Agradeço a forma madura e honesta como o grupo conduziu as discussões. Abrimos um canal objetivo de comunicação e queremos resultados. Encerramos a 1ª fase das discussões; os debates continuam.”, afirmou o presidente do Instituto, Paulo Humberto Cesar de Oliveira.

Grupo de Trabalho deve apresentar sugestões para o PBD

Sexta reunião tratou de reprecificação de ativos e, no próximo encontro, serão recebidas sugestões para equacionar o déficit

Após seis reuniões do Grupo de Trabalho formado por representantes dos participantes e assistidos do Postalis e gestores do Instituto, chegou o momento da apresentação de sugestões sobre a nova estratégia previdencial, visando equacionar o déficit do Plano BD. O próximo encontro terá este objetivo e está agendado para o dia 27 de janeiro.

Na reunião desta terça-feira (13/01), os investimentos reprecificados durante a intervenção no Postalis foram apresentados e seus impactos no patrimônio do plano avaliados. As demonstrações contábeis de 2015 e 2016 do Instituto tiveram ressalva dos auditores, indicando que alguns ativos (Fundos de Investimento em Participações – FIPs e outros) estavam avaliados acima do preço de mercado.

Em dezembro de 2017, o interventor provisionou R$ 1,6 bilhão como perdas do planoBD, relativos a 24 ativos da carteira, o que na prática visa adequar os seus valores às condições de mercado. “Quando o patrimônio está super avaliado, pessoas que solicitam resgate ou portabilidade nos programas de demissão incentivada, por exemplo, acabam levando uma parcela maior do que teriam direito realmente. Quem fica no plano arca com o prejuízo”, explicou Allan Richard Garcia de Araújo, da Diretoria de Investimentos do Postalis.

Após os ajustes na carteira, e já na nova gestão do Instituto, o Plano BD possui agora 11 ativos provisionados, no valor de R$ 670 milhões. “Nenhum investimento é dado como perdido. Fazemos negociações administrativas, instauramos processo de arbitragem e ações judiciais, de acordo com cada caso, sempre no intuito de recuperar tudo o que for possível”, afirmou o Diretor de Gestão Previdenciária, Carlos Alberto Zachert.

Assim, após a série de reuniões de esclarecimentos sobre a situação atual do Plano BD, o Postalis agora aguarda as sugestões dos representantes dos participantes e assistidos sobre a nova estratégia previdencial. A proposta apresentada pelo Instituto inclui a criação de um novo plano de benefícios, na modalidade de Contribuição Definida (CD), permitindo a migração dos participantes do BD que fizerem essa opção. Mas, outras alternativas e ajustes podem surgir das discussões com as associações. “Vamos continuar prestando contas da atuação do Postalis, mas agora temos que discutir o modelo de negócios, receber ideias e sugestões. Só não podemos condicionar a nova estratégia à solução de todos os problemas do Plano BD no passado, pois sabemos que os processos administrativos e judiciais são demorados e temos que evitar maiores perdas”, declarou o diretor Zachert.