Postalis conclui imunização do patrimônio do Plano BD

Estratégia está alinhada com a Política de Investimentos e gera maior segurança no alcance da meta atuarial, com redução dos riscos de mercado.

Após a implantação do PED 2020 que resolveu o problema de solvência do plano de benefício definido (PBD), e que se arrastava desde 2015, a Diretoria de Investimentos – DIN em conjunto com a Diretoria de Gestão Previdencial – DGP elaborou um estudo com o objetivo de mitigar novos déficits para o plano trazendo saúde financeira com impactos positivos aos participantes.

“Na última sexta-feira (07), finalizamos o processo de imunização de aproximadamente 50% dos recursos garantidores do PBD, em montante superior a R$ 1,5 bilhão com taxa média de 6,16% ao ano além da inflação medida pelo IPCA” declara o diretor de investimentos, Carlos Alberto Zachert. “Foi uma grande e oportuna operação com vantagens para o plano”, continua o diretor.

Após as devidas análises técnicas e jurídicas, a estratégia foi apreciada e aprovada pela Diretoria Executiva e pelo Conselho Deliberativo, ritos de governança necessários para que a DIN pudesse adquirir os títulos em questão.

“Buscamos com isso maior sustentabilidade para o plano com muito cuidado, zelo e compromisso com nossos participantes, mitigando riscos com retorno acima do atuarial”, finaliza o Presidente Camilo Fernandes dos Santos.

Entenda o caso:

A imunização do passivo é realizada pelo casamento dos fluxos das obrigações com a disponibilidade de recursos dos investimentos, considerando prazos e taxas de retorno. Trata-se de estratégia já implantada no plano Postalprev, por exemplo, e muito utilizada pelas Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC´s).

O plano BD apresenta uma característica muito propicia e adequada à exigência legal, que é a elevada representatividade da parcela de benefícios concedidos (aposentadorias e pensões) nas provisões matemáticas que supera a 80% das provisões totais do plano.

De acordo com a legislação em vigor e orientações dos órgãos reguladores, planos equilibrados (agora o caso do PBD) podem adquirir títulos públicos federais e marcar seus preços pelas taxas de juros contratadas, denominado no jargão do sistema de previdência como “títulos mantidos até o vencimento” pela curva de juros. Com isso, a carteira de investimentos não sofre mais a marcação a mercado dos seus títulos, reduzindo significativamente a volatilidade gerada pela flutuação das taxas de juros, fator muito presente neste ano em vista da piora da conjuntura econômica nacional e internacional, experimentada após a pandemia da Covid19 que gerou um processo inflacionário mais acentuado.

Os títulos adquiridos pelo Postalis têm vencimento entre 2029 e 2060, em consonância com as necessidades de liquidez do passivo e condições de mercado.

Postalis participa da LIVE da Adcap Nacional sobre o PED 2020

Entidade representativa toma iniciativa para esclarecer seus associados e  sanar as principais dúvidas sobre o futuro do PBD.

A Diretoria Executiva e técnicos do Postalis participaram na noite desta quarta-feira (13), de live transmitida pelo canal no YouTube da Adcap Nacional – Associação dos  Profissionais dos Correios, esclarecendo os pontos principais do Plano de Equacionamento de Déficit (PED) do Plano de Benefício Definido (PBD).

A live apresentou os procedimentos de aprovação do PED, detalhando as datas e exigências cumpridas, mostrando o histórico de resultados técnicos do PBD desde 2015 até novembro de 2023, quando o PED foi implementado, e fazendo uma síntese das mudanças no regulamento do plano. Ambos os regulamentos, o novo e o antigo, estão disponíveis no site do Postalis (clique aqui). Na área restrita, acessada por senha pelos participantes e assistidos, também há um quadro comparativo com cada item alterado.

Na sessão de perguntas e respostas, foram esclarecidos temas como a abrangência do equacionamento (que é total, com ele o plano voltou ao equilíbrio e iniciou 2024 sem déficit), sobre os prazos de pagamento das contribuições extraordinárias (a princípio vitalícias, mas que podem ser reduzidas ou mesma extintas a depender dos resultados futuros do plano) e sobre os cálculos das alíquotas (feitos e revisados por consultorias especializadas), entre outros.

Clique aqui e assista a LIVE na íntegra:  https://www.youtube.com/watch?v=o9eT_hyDn3I

Clique aqui e assista a live do POSTALIS na íntegra e compartilhe o link com outros participantes e assistidos do PBD: https://www.youtube.com/watch?v=o9eT_hyDn3I

Postalis realiza live e tira dúvidas sobre o equacionamento do PBD

Com total transparência, foram respondidas ao vivo perguntas sobre o processo que dá solvência e liquidez ao plano.

Em mais uma ação de transparência, a Diretoria Executiva e técnicos do Postalis apresentaram na tarde desta quinta-feira (22/2), em live transmitida pelo canal do Instituto no YouTube, os pontos principais do Plano de Equacionamento de Déficit (PED) do Plano de Benefício Definido (PBD), respondendo ao vivo perguntas dos participantes e assistidos. “É muito importante fazer um bate-papo para esta virada de ciclo do PBD, termos essa aproximação para prestar contas a vocês, que são os donos deste patrimônio”, ressaltou o presidente Camilo Fernandes dos Santos.

A live apresentou os procedimentos de aprovação do PED, detalhando as datas e exigências cumpridas, mostrando o histórico de resultados técnicos do PBD desde 2015 até novembro de 2023, quando o PED foi implementado, e fazendo uma síntese das mudanças no regulamento do plano. Ambos os regulamentos, o novo e o antigo, estão disponíveis no site do Postalis (clique aqui). Na área restrita, acessada por senha pelos participantes e assistidos, também há um quadro comparativo com cada item alterado.

O diretor de Gestão Previdencial, Walison de Melo Costa, explicou sobre a obrigatoriedade de equacionar o plano, cumprindo o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), e destacou a grande importância desta solução. “Nossa missão é dar sustentabilidade ao PBD, de forma legal e equilibrada, considerando os direitos de todos os envolvidos. O equacionamento é uma responsabilidade compartilhada entre patrocinadores, participantes e assistidos”, lembrou. Os Correios se comprometeram, conforme contrato de dívida já assinado e registrado em cartório, com os pagamentos da metade do déficit, em valores superiores a R$ 7,6 bilhões.

“Ao implantar o PED, o PBD passou a ser um plano com solvência e liquidez necessária para realizar os pagamentos de benefícios, sem o fantasma que ameaçava o seu fim no futuro breve”, afirmou o diretor de Investimentos, Carlos Alberto Zachert. Ele lembrou que, em 2023, tanto o PBD quanto o Postalprev tiveram rentabilidade acima de suas metas, contribuindo para que os planos se mantenham equilibrados financeiramente.

Na sessão de perguntas e respostas, foram esclarecidos temas como a abrangência do equacionamento (que é total, com ele o plano voltou ao equilíbrio e iniciou 2024 sem déficit), sobre os prazos de pagamento das contribuições extraordinárias (a princípio vitalícias, mas que podem ser reduzidas ou mesma extintas a depender dos resultados futuros do plano) e sobre os cálculos das alíquotas (feitos e revisados por consultorias especializadas), entre outros.

Clique aqui e assista a live na íntegra e compartilhe o link com outros participantes e assistidos do PBD: https://www.youtube.com/watch?v=o9eT_hyDn3I

Postalis detalha equacionamento do PBD para entidades representativas

O 1º Fórum Postalis de 2024 com representantes de seus participantes e assistidos foi realizado na tarde desta quinta-feira (15/2), por videoconferência, para tratar exclusivamente da implantação da fase final do Plano de Equacionamento de Déficit (PED), que devolve a esperada solvência ao Plano de Benefício Definido (PBD). As reuniões, que costumam ser mensais, priorizam a transparência e a colaboração dessas associações para as principais demandas dos participantes do Instituto. O evento contou com a participação do presidente do Postalis, Camilo Fernandes dos Santos, o Diretor de Gestão Previdencial, Walison de Melo Costa, o gerente de Gestão Previdencial, Raul Rocha, junto a outros gestores do Instituto e dirigentes das associações de participantes e assistidos: Anipp, Adcap, Aract, Abraco e Findect.

“O processo de equacionamento demandou muita energia da equipe técnica, diretoria executiva, da patrocinadora, os Correios e Conselho Deliberativo do Postalis, uma verdadeira saga para tramitar tudo com responsabilidade e cautela”, afirmou Camilo, acrescentando que os participantes terão a segurança de que o patrocinador, Correios, já está formalmente compromissado com o pagamento de sua parcela do déficit do PBD. Isso porque já foi assinado o contrato de confissão de dívida, demonstrando a responsabilidade da patrocinadora, com seus trabalhadores, sejam eles assistidos ou da ativa. Firmando esse contrato, os Correios assumem a responsabilidade de pagar R$ 2,323 bilhões no prazo de 30 anos, com juros anuais – correspondente à redução dos benefícios futuros prevista no novo regulamento do plano – e pagar uma alíquota mensal vitalícia de 23,64%, a ser recalculada atuarialmente a cada ano, que trará outros R$ 5,275 bilhões ao PBD.

De acordo com o diretor de Gestão Previdencial, Walison de Melo Costa estes valores, que ultrapassam R$ 7,6 bilhões a receber dos Correios, juntamente com R$ 36 milhões do patrocinador Postalis e as novas contribuições dos participantes e assistidos, são imediatamente registrados contabilmente e, assim, o PBD inicia o ano de 2024 sem déficit. E com um regulamento adequado para manter seu equilíbrio financeiro.

“Cumprindo o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2020, demos equacionamento cabal, consolidando todos os equacionamentos de déficit do plano. Essa união de esforços entre patrocinadores, participantes e assistidos, o Plano de Benefício Definido (PBD) manteve sua solvência e liquidez, assegurando a continuidade dos benefícios conforme o regulamento atual. A solvência é a capacidade de uma entidade em cumprir suas obrigações de longo prazo, indicando saúde financeira para manter os compromissos futuros. Já a liquidez representa a capacidade de converter ativos em recursos financeiros para pagamento dos benefícios”, destacou o diretor Walison.

Na próxima semana, o Postalis irá realizar uma live com seus participantes para esclarecer, de forma didática e simples, todos os pontos do equacionamento, inclusive as novas alíquotas de contribuições extraordinárias já divulgadas (veja aqui). No evento, será ressaltado o principal benefício do equacionamento, que é a manutenção do PBD como fonte de renda extra para a aposentadoria, uma vez que este plano estava ameaçado de extinção caso não tivesse sua dívida solucionada. Todas as informações sobre o histórico e a solução deste equacionamento estão atualizadas no hotsite disponível no site do Postalis.

O presidente do Instituto se comprometeu em manter a comunicação do Postalis de forma clara e transparente e pediu a ajuda de todas as associações nesse esforço para que as informações cheguem de forma correta para todos os participantes. Este equacionamento é um divisor de águas na história do Postalis, não podem restar dúvidas de que estamos todos do mesmo lado dessa trincheira na luta em defesa do Postalis e de seus participantes. , ratificou.

PBD inicia 2024 sem déficit e próximo da implantação do PED

Equacionamento é essencial na transição do plano de uma fase de desafios financeiros para a sustentabilidade de longo prazo.

Após um processo rigoroso de aprovação junto aos órgãos competentes, o Plano de Equacionamento de Déficit (PED) referente ao PBD está na fase final de sua implantação. As novas alíquotas de contribuições extraordinárias entrarão em vigor a partir de fevereiro de 2024. Essa medida é essencial para levar o PBD de uma fase de desafios financeiros para uma de estabilidade e sustentabilidade a longo prazo.

Conforme estabelecido pelo Termo de Ajustamento de Conduta, celebrado em 2020, e pela Resolução CNPC nº 30/2018, o Postalis solucionou integralmente o déficit do PBD. Isso abrange os planos de equacionamento dos déficits de 2012 e 2014, bem como os posteriores. Inclui também as mudanças regulatórias do PBD, as quais foram amplamente discutidas com as entidades representantes dos participantes, e que foram recentemente aprovadas pela Previc (Portaria nº 1.034/2023), as quais englobam:

      • Supressão do benefício de Pecúlio por Morte.
      • Redução das futuras Pensões por Morte para 50% do benefício do valor do benefício dos atuais aposentados e do Benefício Proporcional Saldado (BPS) dos ativos.  
      • 13ª contribuição (desconto) correspondente a 75% do abono anual no caso dos assistidos ou do BPS dos ativos, a ser descontada em dezembro.

Essas mudanças representam um esforço coletivo e são fundamentais para assegurar a viabilidade do nosso PBD. As novas alíquotas foram cuidadosamente calculadas para refletir a responsabilidade compartilhada entre patrocinadores, participantes ativos, aposentados e pensionistas, garantindo o equilíbrio e a sustentabilidade do plano.

Após os recálculos atuariais, as novas alíquotas de contribuição extraordinária, válidas a partir de fevereiro de 2024, são:

Nota: * Alíquota para novos benefícios de pensão a partir de 22/11/2023.

Além disso, a contribuição patronal foi ajustada para incluir duas parcelas, uma financiada em 30 anos e outra calculada atuarialmente com prazo vitalício, reforçando nosso compromisso com a solidez do plano de benefícios.

A implementação do PED é uma medida estratégica, legalmente necessária, que visa não apenas a recuperação da solvência, mas também a melhoria da liquidez do plano. Continuamos comprometidos com a busca de soluções para fortalecer ainda mais o PBD, incluindo a recuperação de ativos, a estruturação de novos planos de benefícios e a otimização da gestão de recursos.

A participação e o apoio de todos, patrocinadores, participantes e assistidos, é fundamental a esse processo, garantindo a continuidade dos benefícios para nossos mais de 41.038 participantes (empregados em atividade) e 37.605 assistidos.

Agora, com o PBD equacionado, continuamos unindo forças – Postalis, participantes, assistidos e patrocinador – para avançarmos na reestruturação e manutenção do equilíbrio do plano.

Regulamentos do PBD e Postalprev ganham novo visual

Documentos estão à disposição dos participantes e assistidos no site do Instituto, confira!

Com a recente aprovação do novo regulamento para o Plano de Benefício Definido (PBD), o Postalis reformulou o layout do documento, assim como o visual do regulamento do Postalprev. Ambos já estão à disposição dos participantes e assistidos dos dois planos no site do Instituto, basta acessar a página inicial, clicar em Nossos Planos e escolher o produto que quer consultar.

O novo layout adota a linguagem visual atualizada do Postalis, mais atraente e bonita, além de um formato de fácil leitura, visando ampliar o interesse para a consulta dos documentos. Os regulamentos contêm todas as regras aplicáveis ao plano de previdência complementar, definindo quem pode participar, como são feitas as contribuições, quais os benefícios a que os participantes têm direito e os requisitos para solicitá-los, as formas de pagamento da renda e as alternativas para quem deixa o patrocinador, tanto para sair quanto para continuar no plano (opções chamadas de Institutos no jargão técnico). “É muito importante que todos os participantes e assistidos conheçam o regulamento de seu plano, porque ele é como um contrato, descreve todos os direitos e obrigações de participantes e patrocinadores”, recomenda o Diretor de Gestão Previdencial, Walison de Melo Costa.

Ele destaca as alterações feitas no regulamento do PBD, aprovado em 22/11/2023 pela Previc e em vigor desde então, que estão na versão remodelada, em especial com relação à novas concessões de pensões, a extinção do pecúlio por morte e o abatimento sobre o abono anual a partir de 2024. O regulamento antigo do PBD, válido somente até 21/11/2023, também ficará disponível no site temporariamente, visando manter a transparência com participantes e assistidos que tenham adquirido direitos até esta data e que não tenham ainda solicitado seus benefícios ao Postalis.

Postalis detalha PED 2020 em 4º Fórum com Entidades Representativas

Diretoria Executiva também destacou o resultado dos investimentos acima da meta mantendo seu compromisso com a Transparência.

O Postalis realizou o 4º encontro deste ano, via videoconferência, com representantes de associações e sindicatos dos trabalhadores dos Correios. O Fórum prioriza a transparência e a colaboração dos integrantes em busca de propostas e soluções ligadas aos assuntos mais sensíveis da entidade.

O Presidente, Camilo Fernandes dos Santos, o Diretor de Investimentos, Carlos Alberto Zachert, e o Diretor de Gestão Previdencial, Walison Melo Costa, acompanhados do gerente de Gestão Previdencial, Raul Rocha, abordaram os próximos passos do Plano de Equacionamento de Déficit (PED) do Plano de Benefício Definido (PBD). A rentabilidade dos planos Postalprev e PBD, ambas acima da meta atuarial no acumulado de janeiro a outubro, também foram destaque.

Na abertura do encontro, o presidente Camilo Fernandes fez questão de destacar o grande esforço realizado para viabilizar o pagamento do Abono Anual dos assistidos do plano BD já na próxima terça-feira (12/12). Ele ressaltou a sinergia entre os diretores, conselheiros e o patrocinador Correios em prol dos aposentados e pensionistas.

Na oportunidade, o diretor Walison Costa e o gerente Raul Rocha falaram sobre as próximas ações e os trâmites necessários à implantação do PED 2020, iniciando por uma avaliação atuarial que já está sendo providenciada. Ela é necessária pois o novo regulamento do PBD, em vigor desde 22/11/2023, altera a concessão de novas pensões, extingue o pecúlio por morte e prevê abatimento de até 75% do abono anual.

Esta avaliação vai atualizar os valores do PED, contemplando movimentações populacionais (como saída de participantes do plano e aumento da idade dos integrantes), recalculando as obrigações e alíquotas extraordinárias, que passarão a ser vitalícias. Os cálculos ainda não estão disponíveis, mas serão divulgados com transparência a todos, assim que concluídos, inclusive com uma nova edição do Fórum.

Questionado, Raul Rocha explicou que não há necessidade de aprovação do resultado da avaliação e das novas alíquotas de contribuição por outras instâncias, o que permitirá a aplicação das alterações a partir de 2024, preferencialmente em janeiro. E acrescentou, que também será assinado o contrato de dívida referente à parcela de responsabilidade dos Correios sobre o déficit, trazendo mais segurança no processo para participantes e assistidos.

Na sequência, o diretor Carlos Zachert anunciou os resultados dos investimentos do PBD (7,25%) e do Postalprev (9,2%) acumulados nos primeiros 10 meses de 2023, ambos acima da meta atuarial de 7,14%. Ele adiantou que a perspectiva para novembro é muito positiva. Sobre a recuperação de investimentos malsucedidos do passado, ele informou que, somente neste ano, foram R$ 189 milhões reincorporados ao patrimônio dos planos previdenciários e que, desde 2018, este valor está próximo de R$ 1 bilhão em recuperações.

Zachert aproveitou a oportunidade para reforçar o pedido de apoio das entidades no sentido de divulgarem aos seus associados as vantagens da campanha Desenrola do Postalis que visa renegociar contratos, reduzir a inadimplência e ampliar o acesso ao crédito para os participantes e assistidos. Ao longo deste mês, os atendentes estão em contato com os inscritos na campanha – inclusive aos sábados – em um esforço para efetivar as renegociações em condições vantajosas, como juros abaixo de 1% ao mês e isenção de encargos, entre outros.

Postalis pagará décimo terceiro dos aposentados no dia 12 de dezembro

Depósitos serão feitos após decisão da Diretoria e Conselho Deliberativo do Postalis junto aos Correios.

Na próxima terça-feira (12 de dezembro), aposentados e pensionistas do Plano de Benefício Definido (PBD) do Postalis irão receber o pagamento do abono anual de 2023. Da mesma forma, os participantes assistidos do Postalprev receberão seu abono anual. O valor será depositado nas contas com o desconto do Imposto de Renda Retido na Fonte e contribuição extraordinária de 19,93%. Para os que passaram a receber a aposentadoria ou pensão ao longo deste ano, o valor é proporcional aos meses em que receberam o benefício.

O presidente do Postalis, Camilo Fernandes dos Santos, ressalta o esforço conjunto da Diretoria Executiva e Conselho Deliberativo do Instituto, junto ao presidente dos Correios, para garantir o pagamento do abono anual do PBD em 2023. Não houve adiantamento do abono neste ano, uma vez que o Postalis estava aguardando a aprovação do Plano de Equacionamento de Déficit (PED). O objetivo foi evitar o risco de pagar o adiantamento e agora, em dezembro, cobrar valores dos participantes como devolução para cobrir o déficit, o que causaria desconforto e problemas.

Com a medida, fica garantida a renda dos assistidos do PBD para este final de ano, enquanto é feita a avaliação atuarial que deverá aplicar, a partir de 2024, o novo Plano de Equacionamento de Déficit (PED), devolvendo o equilíbrio financeiro ao plano. O Postalprev já se encontra superavitário.

https://www.instagram.com/p/C0hF9Lgsxze/?igshid=OTRhYjMwMjlhNg==