Plantão de atendimento renegocia débitos nos últimos dias Desenrola Postalis

A campanha Desenrola Postalis será encerrada na próxima quarta-feira (dia 31 de janeiro) e os inscritos têm a última oportunidade para renegociar suas dívidas com os empréstimos do Instituto. Ao aceitarem uma nova proposta, podem contar com juros menores de 1% ao mês, prazo de até 120 meses (10 anos) para pagar e redução ou até isenção de taxas e encargos.

Para incentivar um maior número de adesões, os atendentes do Postalis estarão de plantão neste sábado (27 de janeiro), ligando para os inscritos no Desenrola que ainda não assinaram a renegociação. As chamadas serão feitas entre 9h e 13h pelo número (61) 2106-4700. É a última oportunidade para economizar, limpar seu nome e voltar a ter acesso a crédito, evitando negativação, protestos e ações na Justiça.

Com a renegociação é possível quitar totalmente o empréstimo ou somente o saldo inadimplente. A entrada é facilitada com o valor mínimo de R$ 100 e as parcelas passam a ter prazo mais longo, que pode chegar a 10 anos. O valor da parcela renegociada tem que ser menor que a margem consignável disponível no dia da renegociação. Os descontos nos encargos aumentam conforme o tempo de inadimplência: 50% para atrasos até 12 meses, 75% de 12 a 60 meses e 100% acima deste período. Contratos quitados com valores menores de R$ 5 mil não pagarão taxas de protesto. Em casos de dívidas já ajuizadas, os escritórios de cobrança judicial do Postalis darão desconto de 40% nos honorários advocatícios. Ao pagar as seis primeiras parcelas da renegociação em dia, o participante ou assistido volta a ter direito a contratar novos empréstimos.

Caso tenha interesse e ainda não tenha ouvido sua proposta, entre em contato com a Central de Atendimento, pelo telefone 0800 879 0300, nos dias úteis, das 8h às 18h.

Postalis inaugura polos de atendimento presencial em Brasília e São Paulo

O Postalis inaugurou hoje dois polos de atendimento presencial nas sedes dos Correios em Brasília (DF) e São Paulo (SP), cidades que contam com a maior parte dos empregados da patrocinadora. Todos os serviços disponíveis na Central de Atendimento do Instituto serão oferecidos aos atuais e potenciais participantes dos planos de previdência PBD e Postalprev, em atendimentos individualizados, como adesão ao Postalprev; consultas de saldos e extratos; simulação, contratação e renegociação de empréstimos, solicitação de auxílios e demais benefícios, entre outros.

“Para nós, é um motivo de muita alegria, é um marco na história do Instituto e isso vem coroar a nossa parceria com os Correios. Era uma reinvindicação dos trabalhadores e vai estreitar ainda mais as relações entre o Instituto entre os aposentados e os ativos”, afirmou o presidente do Instituto, Camilo Fernandes dos Santos, que viabilizou a implantação junto ao presidente dos Correios, Fabiano Silva dos Santos. “A gente sabe dos desafios que temos com esse fundo de pensão, mas cada dia mais nos dedicamos a recuperar a imagem do Instituto e os recursos que no passado foram mal geridos”, comentou o presidente dos Correios. Os dois, junto ao Diretor de Investimentos do Postalis, Carlos Alberto Zachert, participaram da inauguração em Brasília, que contou com o presidente do Conselho Deliberativo, Hudson Alves da Silva, e outros conselheiros da entidade, representantes da Previc, incluindo o superintendente Ricardo Pena, e dirigentes de todas as associações de participantes e assistidos do Instituto.

A cerimônia que também celebrou o Dia do Aposentado (24/1), o Dia do Carteiro e aniversário de 361 anos dos Correios (25/1). Foram homenageados os carteiros mais antigos aposentados pelo Postalis: Pedro Francisco de Lima, Vantuil Nogueira da Mota, Misael Cavalcante Freire, Walter Batista e Aldir Alves da Paixão. “Nossos cumprimentos e gratidão a esses funcionários que são símbolo de um País gigante, que trabalha e enfrenta todos os obstáculos para cumprir sua missão com responsabilidade”, celebrou o presidente do Postalis.

O Diretor de Gestão Previdencial, Walison de Melo Costa, esteve na abertura do polo em São Paulo, junto ao Superintendente Estadual dos Correios de São Paulo Metropolitana, Renato Aparecido Rosa. Ambos os eventos foram transmitidos ao vivo para todas as superintendências estaduais dos Correios no Brasil.

Os polos contarão com dois atendentes do Postalis e um funcionário da área de Gestão de Pessoas dos Correios. Eles receberão empregados ativos e, também, aposentados e pensionistas que prefiram esta forma de contato. A Central de Atendimento do Postalis, na sede do Instituto, também continuará atendendo presencialmente, inclusive com possibilidade de agendamento prévio. Além disso, diversos serviços continuam disponíveis pela internet, via Postalis Online (acesso pelo site do Instituto com matrícula e senha), ampliando as possibilidades de orientações e esclarecimento de dúvidas no canal escolhido pelo participante ou assistido.

Postalis atinge 5 mil seguidores no Instagram em apenas seis meses

Postalis atinge 5 mil seguidores no Instagram em apenas seis meses

Página na rede social amplia comunicação de assuntos de interesse dos participantes

Participantes e assistidos do Postalis têm acesso a informações sobre seu plano de previdência e a gestão do Instituto por diferentes canais de comunicação. O mais recente deles, o perfil no Instagram, foi lançado em 24 de julho de 2023 e, em apenas seis meses, já conquistou 5 mil seguidores. As redes sociais são usadas por pessoas de todas as idades e a intenção é que o público tenha escolha de como prefere receber informações sobre o Postalis. “O participante e assistido pode voltar a ter segurança e confiança porque passou a acompanhar de perto tudo sobre sua previdência complementar”, conta a gerente de Comunicação, Larissa Rossana.

A atual gestão do Postalis está focada em retomar o diálogo e a aproximação com a patrocinadora, Correios, e com seus participantes e assistidos. O Instituto tem perfis em outras duas redes sociais: seu canal no YouTube chegou em dezembro a 10 mil seguidores e, em janeiro, a página no LinkedIn atingiu 15 mil seguidores. Além disso, o Postalis atualiza com frequência seu site, envia mensagens via e-mail e pelo celular (SMS) e compartilha conteúdos com os Correios para a divulgação em seus canais internos.

A transparência é um dos pilares da atual gestão, que também realiza fóruns mensais com associações de participantes para discutir os temas de maior interesse. Adicionalmente, o Postalis tem realizado eventos, como a Semana de Educação Previdenciária, para ampliar o conhecimento sobre finanças e sobre os planos de previdência. “Os números crescentes de seguidores comprovam o interesse em saber mais sobre o Instituto e estamos sempre abertos a dar orientações e prestar contas”, afirma o presidente, Camilo Fernandes dos Santos.

Postalis tem a melhor rentabilidade dos últimos anos e atinge quase 200% das metas em 2023

Performance nos investimentos dos planos PBD e Postalprev é mais uma grande conquista do Instituto em 2023

A excelente performance nos investimentos dos planos de benefícios é mais uma grande conquista do Postalis para seus participantes e assistidos no ano de 2023: tanto o Planto de Benefício Definido (PBD) quanto o Postalprev, da modalidade de Contribuição Variável (CV), tiveram seus melhores resultados dos últimos anos. Com o melhor retorno desde 2021, o PBD registrou 16,0%, equivalente a 184% de sua meta atuarial, que foi de 8,7%. Com o mesmo objetivo, o Postalprev registrou rentabilidade de 17,1%, correspondente a 197% da meta. É a maior rentabilidade deste plano desde 2018.

Somente no mês de dezembro, as carteiras do PBD e Postalprev avançaram 3,2% e 2,6%, respectivamente, graças ao comportamento do mercado financeiro e a adequada alocação de recursos entre os diversos segmentos e modalidades de ativos. A gestão dos investimentos gera ganhos financeiros e melhora a solvência dos planos.

O PBD encerrou o ano com R$ 3,2 bilhões de patrimônio, sendo 47% alocados em renda fixa, 19,2% em renda variável, 12,7% em imóveis, 9% em empréstimos aos participantes, além da parcela remanescente em investimentos estruturados e no exterior. A gestão desses recursos está distribuída em 56% na carteira própria e 44% por meio de fundos terceirizados.

Já o Postalprev rompeu a marca de R$ 9 bilhões de patrimônio no ano, alocados majoritariamente em renda fixa (79,7%) geridos na carteira própria por meio de títulos públicos federais, seguido pelo segmento de renda variável com 9,2% e empréstimos aos participantes com 7,5%.

Da mesma forma, os recursos do Plano de Gestão Administrativa (PGA) atingiram 14,9% de rentabilidade, correspondente a 114% do seu benchmark (CDI), favorecidos pela realocação em títulos públicos federais atrelados à inflação e prefixados, com o aproveitamento dos spreads gerados pelo movimento de maior abertura dos juros futuros (DI).

Apesar da volatilidade do mercado financeiro provocado pelos conflitos geopolíticos, da evolução da taxa de juros das principais economias do mundo e da redução da taxa de juros doméstica (Selic), contribuíram fortemente para o ótimo resultado os ativos de renda fixa com os juros ainda em patamares elevados, os ganhos gerados com a marcação a mercado e taxas de carregamento do estoque de títulos estrategicamente alocados, conforme estabelecido pela política de investimentos dos planos. Com o fechamento das taxas de juros no mercado, tanto os títulos indexados a índices de preços como os prefixados geraram retornos da ordem de 15% a 22% no ano. Os investimentos em ações também garantiram retornos em torno de 20%, embalados pela recuperação da bolsa de valores ocorridos nos últimos dois meses do ano.

Além disso, merece destaque o segmento de operações com participantes, “cujos empréstimos trazem uma dupla vantagem com as contratações, pois oferecem retornos compatíveis com a meta atuarial, configurando-se, por outro lado, como um excelente benefício aos participantes pelas condições de crédito imbatíveis no mercado, considerando a baixa taxas de juros, o extenso prazo de pagamento e a facilidade de contratação”, afirma o diretor de investimentos Carlos Alberto Zachert. Também devemos comemorar a recuperação em 2023 de mais de R$ 122 milhões de ativos estressados que estavam provisionados para perda, acumulando R$ 997 milhões desde o provisionamento. “Atuamos com muito afinco no propósito de trazer de volta aos planos o máximo de recursos que foram mal aplicados no passado”, continua o diretor Zachert.

“Estamos cumprindo com nosso objetivo de preservar a liquidez, a solvência e o equilíbrio dos planos de benefícios, garantindo assim a confiança e a tranquilidade de nossos participantes para o futuro”, destaca o diretor de gestão previdencial Walison de Melo Costa.

Para o presidente Camilo Fernandes dos Santos, “o importante disso tudo, é que além de gerar melhores expectativas para os participantes e o Instituto, esse desempenho foi obtido sem aventuras e extrapolações de limites, pois foi construído dentro dos princípios e diretrizes estabelecidos pela legislação e políticas internas, com regras de governança seguindo as melhores práticas de mercado”.

Postalis chega a R$ 1 bilhão em Empréstimos pela 1ª vez na sua história

Juros menores de 1% e campanhas de renegociação motivaram melhora na carteira

O volume de recursos emprestados pelo Postalis aos seus participantes e assistidos, e pagos em dia, chegou pela primeira vez na história do Instituto a R$ 1 bilhão. O valor é 22% maior do que o registrado em novembro de 2022, o que demonstra a responsabilidade da nova gestão do Instituto nas concessões e as condições facilitadas oferecidas aos beneficiários desta modalidade de crédito, que são empregados da ativa e aposentados integrantes dos planos PBD e Postalprev. O total da carteira de empréstimos do Postalis atualmente soma R$ 1,2 bilhão.

Segundo a coordenadora de Empréstimos e Financiamentos do Postalis, Eneida Matias, o resultado foi motivado por uma série de fatores mas, principalmente, pela redução dos juros a menos de 1% ao mês e pelas campanhas de renegociação de débitos, Recupera no primeiro semestre e Desenrola Postalis no segundo semestre. “Estamos emprestando mais e melhor, com mais critério. As campanhas permitiram que pessoas com pagamentos em atraso tivessem condições de quitar ou renegociar suas dívidas, com muitas vantagens”, explica. Entre as condições especiais da campanha Desenrola Postalis estão a extensão do prazo, de 96 meses para 120 meses (10 anos), os descontos de até 100% nas taxas processuais e isenção de taxa de negativação para dívidas de até R$ 5 mil.

Para o diretor de Investimentos do Postalis, Carlos Alberto Zachert, a marca de R$ 1 bilhão em créditos adimplentes é uma dupla vitória. “Para os participantes e assistidos, representa uma oferta de crédito mais vantajosa do que a do mercado financeiro. E para o patrimônio dos nossos planos de previdência, é uma forma de investimento rentável, que contribui para que tanto o PBD quanto o Postalprev estejam acima das suas metas atuariais em 2023”, afirma.

Se você tem débitos com os empréstimos do Postalis e ainda não renegociou sua dívida, não perca a oportunidade. Estamos nos últimos dias da campanha Desenrola, com os atendentes do Instituto entrando em contato com os inscritos por telefone, utilizando o número (61) 2106-4700. Caso não tenha atendido a ligação ou queira conhecer agora as condições para o seu caso, entre em contato com nossa Central de Atendimento pelo 0800 0800 879 0300 e peça para conhecer a sua proposta. É sua oportunidade de começar 2024 com as contas em dia!

Planos do Postalis acumulam rentabilidade de dois dígitos e acima da meta atuarial

De janeiro a novembro, o PBD teve retorno de 11,54%, enquanto o Postalprev rendeu 13,27%

Os dois planos de previdência complementar do Postalis acumulam, de janeiro a novembro de 2023, rentabilidades nos investimentos muito superiores à sua meta atuarial, de 7,67%. Com índices de retorno de dois dígitos, o Plano de Benefício Definido (PBD) atingiu 11,54%, pouco mais de 50% acima de seu objetivo, enquanto o Postalprev, da modalidade de Contribuição Variável, chegou a 13,27%, resultado 73% superior à meta para o período.

O mês de novembro foi o melhor do ano para ambos os planos, com 4,07% de rentabilidade no PBD e 3,21% no Postalprev. Os resultados refletem uma melhora nas perspectivas do cenário macroeconômico e foram impulsionados pela renda variável (mercado acionário) e alocações no exterior, embora as parcelas destes ativos nas carteiras sejam menos significativas do que a renda fixa. “Além de uma estratégia bem definida e alocações acertadas, também aperfeiçoamos a governança dos investimentos do Postalis, o que traz mais segurança aos participantes e assistidos e preservação do seu patrimônio”, afirma o Diretor de Investimentos, Carlos Alberto Zachert.

A rentabilidade dos investimentos pode ser acompanhada por meio da cota dos planos de benefícios, que após sofrer os impactos negativos do mercado financeiro nos meses de agosto, setembro e outubro, recuperou totalmente no último mês, superando as expectativas de retorno.

Ao longo de 2023, os dois planos estiveram acima de sua meta por 6 dos 11 meses até agora. Por isso, a perspectiva é que encerrem o ano com rentabilidades positivas, contribuindo para o reequilíbrio financeiro do PBD. Neste plano o Postalis aplicará, a partir de 2024, um novo plano de equacionamento, solucionando déficits acumulados em gestões passadas do Instituto. O Postalprev já é um plano superavitário e equilibrado, e com os bons resultados alcançados nos investimentos, amplia as reservas dos participantes para a aposentadoria com robustez e solvência.

“Esse desempenho positivo é fruto do esforço e dedicação dessa gestão na recuperação da sustentabilidade de nossos planos em benefício dos participantes e garantia de suas aposentadorias”, conclui o presidente Camilo Fernandes dos Santos.

Diretores estarão em Ato Público pela responsabilização do banco BNY Mellon

Gestão atual está empenhada na recuperação de prejuízos gerados no passado pelo banco norte-americano aos planos de benefícios.

Em mais um gesto de cumprimento da responsabilidade fiduciária e em apoio aos seus participantes e assistidos, diretores do Postalis estarão presentes na manifestação pela responsabilização do banco BNY Mellon pelos prejuízos causados no passado aos planos de benefícios do Instituto. O evento, promovido por associações de participantes, está agendado para a próxima quinta-feira (23/11), às 10h, em frente à sede do banco no Centro do Rio de Janeiro. O Instituto será representado por seu Diretor de Investimentos, Carlos Alberto Zachert, e seu Diretor de Gestão Previdencial, Walison de Melo Costa.

“É muito importante essa iniciativa porque os danos não podem cair no esquecimento, já que os trabalhadores e patrocinadores estão pagando sua parcela com contribuições extraordinárias. A sociedade está atenta e o banco precisa assumir suas responsabilidades e reparar os prejuízos de sua má gestão”, complementa o presidente do Instituto, Camilo Fernandes dos Santos.

No passado, o banco BNY Mellon foi contratado para administrar a carteira de fundos de investimentos dos planos de benefícios do Postalis, cuja gestão trouxe prejuízos bilionários aos cofres da entidade. A situação compromete até hoje o pagamento dos benefícios de aposentadoria e pensão dos trabalhadores dos Correios, principalmente o Plano de Benefício Definido (PBD), que acumula déficit de mais de R$ 9 bilhões e obriga participantes e patrocinadora a pagar contribuições extraordinárias para manter as complementações de aposentadoria e pensão.

A atual gestão do Postalis mantém ações judiciais e administrativas contra o BNY Mellon que aguardam decisões definitivas da Justiça. Entre o final de agosto e início de setembro deste ano, o Instituto realizou uma apresentação para líderes sindicais, parlamentares norte-americanos e representantes de movimentos sociais, nos Estados Unidos, demonstrando o que ocorreu na relação conflituosa com o banco. Em seguida, houve uma manifestação realizada na sede do BNY Mellon em Nova York.

“Depois de anos de indiferença, o Postalis está novamente unido ao patrocinador Correios e aos participantes e assistidos pelo interesse comum, que é resgatar a capacidade de seus planos de manter a renda esperada na aposentadoria destes trabalhadores”, afirma o diretor Walison Costa. “Não há dinheiro perdido para esta gestão, estamos buscando por todas as vias a responsabilização de quem causou danos ao Instituto e sua reparação”, acrescenta o diretor Zachert.

Um novo plano de equacionamento, referente ao período de 2015 até 2020, para devolver o equilíbrio necessário ao PBD, está prestes a ser implementado já com a aprovação da Previc, órgão fiscalizador do segmento. A intenção do Postalis é implementá-lo ainda neste ano de 2023. Em paralelo, o Instituto aperfeiçoou seus mecanismos de governança para evitar novos desvios como os ocorridos no passado. Como resultado, a rentabilidade do PBD e do Postalprev se mantém acima da meta ao longo deste ano, o que evita a ampliação do déficit, porém não é suficiente para cobrir todos os danos gerados pelo BNY Mellon.

Juntamente com a recuperação financeira, a direção atual do Postalis tem se empenhado em melhorar a prestação de serviços e o relacionamento com seus participantes, assistidos e patrocinador. Exemplos dessa atuação são a campanha Desenrola Postalis, para a renegociação de empréstimos inadimplentes e novas ofertas de crédito, a Semana de Educação Previdenciária e Financeira em conjunto com os Correios, com informações práticas sobre a melhor utilização dos planos e gestão dos orçamentos individuais.

Postalis aprova Plano de custeio de 2022 do PBD com novo percentual de contribuições extraordinárias

Nova alíquota tem vigência a partir de abril de 2022 e a diferença retroativa será parcelada em quatro vezes para participantes e assistidos

O Plano de Custeio 2022 do PBD Saldado foi aprovado, e as alterações feitas terão efeito retroativo a abril de 2022. Os impactos financeiros dessas mudanças serão aplicados em 04 (quatro) parcelas, que ocorrerão entre outubro de 2023 e janeiro de 2024.

Muitos passos foram necessários para chegar a tal aprovação. Inicialmente, o Conselho Deliberativo do Postalis – COD, por determinação legal, precisou aprovar as alterações. Superada a aprovação pelo COD, a Diretoria e o Conselho de Administração do patrocinador “Correios” deram seu aval. Além disso, o Ministério das Comunicações também analisou as mudanças propostas.

Por fim, para concluir o processo, respeitando todos os trâmites legais, a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais – SEST validou as alterações.

A finalidade principal do plano de custeio é seguir a avaliação atuarial. Ele define qual será o percentual de contribuições – normais ou extraordinárias – necessário para um período específico. Essas contribuições são usadas para criar reservas que garantem os benefícios, fundos, provisões e para cobrir outras despesas do plano de benefícios.


O que muda com a aprovação do Plano de Custeio?

A mudança mais significativa é a alteração do percentual da contribuição extraordinária, que ajudará a equilibrar os déficits de 2012 e 2014. Essa alíquota passou de 18,81% para 19,93%, a partir de abril de 2022. Logo, tanto participantes quanto assistidos, pensionistas, bem como a contrapartida patronal, serão influenciados pelas alterações apontadas.

A partir de outubro de 2023, a contribuição será de 19,93% com a finalidade de reduzir o impacto financeiro sobre os participantes e assistidos, a diferença retroativa de abril de 2022 a setembro de 2023, por sua vez, será dividida em quatro parcelas, descontadas nas folhas de outubro de 2023 a janeiro de 2024.

Dessa maneira, será possível implementar o Plano de Custeio 2022, seguindo todas as regras de governança exigidas.

Ressaltamos, por oportuno, que a aprovação do Plano de Custeio não se confunde com o Plano de Equacionamento de Déficit/2020, que está em trâmite.